quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Televisão Digital Terrestre



Na Blogosfera surgiram algumas dúvidas sobre a informação (vide AQUI) relacionada com o sintonizador digital terrestre definido para Portugal e o sintonizador utilizado para a maioria dos países europeus. Dúvidas essencialmente relacionadas com o facto de o descodificador MPEG-4, escolhido pelo Conselho de Ministros para ser usado por Portugal, não descodificar o sinal emitido pela maioria dos restantes países europeus.

Na realidade continuam a ser apenas dúvidas porquanto todas elas não refutam liminarmente a afirmação que foi colhida no Blogue “Tranquilino Maia” e que o Papa Léguas não contesta enquanto não houver uma afirmação peremptória em contrário.

Procurámos mais informação sobre a matéria e encontrámos alguma de que transcrevemos e realçamos os seguintes trechos:

“ (…)

Ao utilizar o MPEG-4 o negócio da TDT fica economicamente mais atractivo para o operador da rede (PTelecom), porque pode transmitir mais canais, criando uma oferta comercialmente mais atractiva e porque o custo da emissão dos seus próprios canais (versão do MEO) é mais baixo. O principal interessado na adopção do MPEG-4 é portanto o operador da rede e os operadores de televisão que a vão utilizar.

Se fosse permitida a difusão dos canais livres em MPEG-2 (sendo os canais a pagar emitidos em MPEG-4), grande parte do público comprava equipamento apenas compatível com o MPEG-2 (vulgarizado e relativamente barato), o que se tornaria num obstáculo a uma possível futura adesão aos canais a pagar, devido à necessidade de comprar novo equipamento. Assim para ver a TDT o público é obrigado a comprar um equipamento mais caro, já compatível com os canais a pagar (em MPEG-4). Mais uma vez os interesses do operador são colocados à frente dos interesses dos espectadores.

(…)

Também o uso do MPEG-4 torna muito mais difícil, no curto e médio prazo, o uso de equipamentos TDT portáteis “concorrentes” com os actuais e futuros serviços a pagar de televisão móvel (via telemóvel), a disponibilizar após o apagão analógico. Actualmente há grande oferta de televisores TDT MPEG-2 portáteis, mas nenhum MPEG-4. O MPEG-4 necessita de muito maior capacidade de processamento para fazer a descompressão do sinal em relação ao MPEG-2. Já é difícil conseguir uma autonomia de bateria de 2,5 horas com o MPEG-2, com o MPEG-4 ainda mais.

(…)

Vantagens do MPEG-4 para o consumidor:

+ Torna possível uma maior oferta de canais.
+ Os programas gravados ocupam menos espaço.

Desvantagens do MPEG-4 para o consumidor:

- Preço elevado do equipamento (principalmente os receptores).
- É incompatível com praticamente todo o equipamento em uso (TDT MPEG-2).
- A oferta de equipamento compatível ainda é muito reduzida (televisores e receptores).
- Ainda não há equipamentos TDT portáteis compatíveis com MPEG-4.

(…)

Espera-se que o ano de 2009 seja finalmente o ano da TDT em Portugal. Estamos no início de uma nova etapa para a televisão em Portugal. As incógnitas ainda são muitas e será necessária a colaboração de todos os intervenientes para vencer esta batalha que está longe estar ganha. A adopção da TDT pelos portugueses terá de ser ganha e não imposta. A história ensina que quem governa contra os interesses da população acaba sempre derrotado.

Notas:

1- Esta informação foi obtida no Portal Autocaravanista AQUI

2- Os sublinhados dos trechos acima são da nossa responsabilidade


Sem comentários:

Enviar um comentário