quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

O Valioso Tempo dos Maduros


Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me como aquele menino que ganhou uma bacia de jabuticabas.
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.
Detesto fazer acareação de desafectos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário-geral do coral.
As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência,
minha alma tem pressa...
Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana;
que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos,
não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade,
Só há que caminhar perto de coisas e pessoas de verdade,
O essencial faz a vida valer a pena.

E para mim, basta o essencial!

(Mário de Andrade)


Afinal, o que é que isto tem a ver com Autocaravanismo?

4 comentários:

  1. Será que pode haver alguma semelhança? Caso quisesse dizer que não, só estaria a tentar enganar-me a mim mesma e mesmo assim...
    Mas não será assim em quase tudo na vida,desde a politica, á religião, á arte, á cultura? será que essa "regra" passaria ao lado do autocaravanismo?
    Ana Pressler

    ResponderEliminar
  2. Há uma questão à espera de uma resposta!

    Se calhar, não haverá uma resposta precisa e concisa!

    Tem tudo a haver com Autocaravanismo, poderá não ter nada a haver.

    Tudo dependerá dos olhos que se debruçarem sobre estas magnificas palavras, sobre este magnifico conteúdo que Mário Andrade fez questão de o criar em "letra de imprensa"!

    Parabéns pela escolha deste texto, desta mensagem tão premente!

    José Gonçalves
    (Guimarães)

    ResponderEliminar
  3. Engraçado.
    Há instantes inseri post acerca da notícia de hoje na NS dos JN e DN, vi a foto do meu amigo, e... apetecia-me escrever algo que manifestasse também a minha falta de paciência para charlatanices...
    Este texto que adoptou encaixa que nem uma luva no que gostaria de dizer.
    O meu abraço.
    A R

    ResponderEliminar
  4. Para que conste informo que é impossível o António Resende ter visto a minha foto no DN.

    Um Abraço

    O Papa Léguas

    ResponderEliminar